Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

4 passos para inserir inteligência nos negócios, otimizar tempo e recursos

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Especialista no ramo explica como as tecnologias do mercado atuam na proteção de ativos, processos, colaboradores e clientes da empresa, além de serem ferramenta essencial para a otimização de finanças e timing

Na Era Digital, onde os dados são amplamente compartilhados e divulgados em tempo real, é cada vez mais importante ter o controle e a segurança das informações, especialmente no ambiente corporativo. Dentre os inúmeros fatores que promovem o funcionamento saudável e bem sucedido de uma organização, a segurança empresarial é um setor fundamental que visa assegurar a proteção de informações, gestão de riscos, conformidade regulatória, além de defesa física e cibernética. Ainda que o tema, muitas vezes, seja pouco aprofundado quando comparado a outros assuntos comerciais, sua importância abrange diversas áreas que impactam aspectos internos e externos de uma organização.

“Promover a segurança empresarial nos negócios é um investimento essencial para garantir a sustentabilidade da empresa, além de assegurar a reputação da marca e garantir, a longo prazo, o sucesso de uma organização. Dessa forma, é possível assegurar os interesses financeiros da instituição e demonstrar para o mercado o compromisso que a empresa exerce no bem-estar e na proteção de seus colaboradores e clientes”, explica Suelen Evangelista, Gerente Geral da MADIS, empresa que, em 2023, celebra 100 anos sendo referência na comercialização de produtos e serviços que oferecem soluções completas para segurança empresarial, com hardwaressoftwares e equipamentos próprios de alta tecnologia.

Sendo um conglomerado de práticas e ações estabelecidas e destinadas para garantir a proteção de processos, ativos e pessoas da empresa, a segurança empresarial tem como objetivo principal o compromisso de garantir e assegurar a continuidade de uma organização. “Ao minimizar e prevenir os riscos e ameaças internas e externas do negócio, é possível combater problemas relacionados à perdas e danos físicos, como roubos, incêndios e outros incidentes que possam envolver danos materiais e à saúde física dos colaboradores. Já no ambiente digital, a segurança empresarial atua contra interferências cibernéticas, como espionagens, clonagens, sabotagens, roubos de informações e dados sigilosos, tanto da empresa como de seus clientes”, explica Suelen.

Para os empresários e empreendedores que desejam aprimorar e, até mesmo, adotar sistemas de segurança empresarial em seus negócios, a gerente geral da MADIS elenca, a seguir, quatro passos fundamentais para colocar em prática na organização. Confira, abaixo:

1. Elenque uma equipe altamente capacitada, levante dados e faça um planejamento assertivo

De acordo com Evangelista, o primeiro passo para aplicar a segurança empresarial na instituição é a formação de um conselho com profissionais capacitados para a atividade. “Criar um comitê assertivo, que envolve desde a equipe de RH, Segurança Patrimonial, equipe de Tecnologia da Informação (TI), entre outros colaboradores da área, é o ponto de partida. A partir disso, os profissionais, em conjunto, devem fazer um levantamento da real necessidade da empresa, para, assim, buscar uma organização sólida e que ofereça os melhores equipamentos e sistemas, de acordo com as necessidades da instituição”, sugere. Além disso, a gerente geral da MADIS também aconselha a elaboração de um planejamento de Benchmarking, ou seja, um processo de avaliação da empresa em relação à concorrência, para conquistar um desempenho superior no mercado. “O percentual de profissionais do ramo pode variar de acordo com a necessidade e o tamanho da organização. Na MADIS, por exemplo, dentre os nossos 50 colaboradores, cerca de oito profissionais são responsáveis pelo setor de segurança empresarial”, complementa.

2. Busque sistemas e tecnologias atualizados

Cada vez mais presente nos noticiários mundo afora, o vazamento de dados e crimes cibernéticos vêm ganhando uma grande repercussão no meio corporativo global, sendo essencial o investimento em softwares hardwares de segurança para evitar a violação da integridade dos clientes e da empresa. “Ao mesmo tempo em que é importante investir em sistemas e tecnologias avançadas, é essencial, também, realizar treinamentos constantes dos profissionais da área. De nada adianta dotar de um sistema de ponta se ele for administrado por colaboradores que não saibam operá-lo e vice-versa”, comenta Suelen. Além disso, ela destaca também a utilização de equipamentos e sistemas que promovam a proteção, os direitos e controle dos colaboradores. “Isso vai desde um simples relógio de ponto, o qual garante não só os direitos do trabalhador, como também os do empregador sobre a quantidade de horas trabalhadas a serem remuneradas, até as catracas de controle de acesso de pessoas previamente autorizadas”, complementa. 

3Conheça os principais riscos e ameaças

De acordo com Evangelista, que está à frente do cargo de gerente geral da MADIS há dez anos, os principais riscos e ameaças à segurança empresarial são: Firewall desconfigurado, o qual permite que hackers consigam invadir a rede interna da organização, não monitorar a saída de arquivos da rede interna, fazendo com que as informações confidenciais sejam vazadas, além de portas USB acessíveis para a gravação de dados. “Em paralelo, é essencial, também, voltar a atenção para os riscos e ameaças físicas, tais como portarias sem controle de entrada e saída de colaboradores e visitantes e a não sinalização de áreas de risco e equipamentos de segurança para as mesmas”, ressalta.

4. Adote responsabilidades sociais e éticas

Por último, a gerente geral da MADIS reitera que valorizar o bem-estar e a proteção de todos os envolvidos na operação é uma forma eficaz de demonstrar o compromisso com a segurança da empresa como um todo, além de oferecer um ambiente mais produtivo e de qualidade, o qual favorece resultados positivos para a organização. “O papel das instituições vai muito além de oferecer produtos e serviços para o público e gerar emprego para seus funcionários. Cabe à elas, também, exercer o comprometimento com as responsabilidades sociais e éticas para com seus clientes, colaboradores e no mercado a qual está inserida”, finaliza Suelen.