Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Aumento de 100% nas contas de laranjas

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

São Paulo, outubro de 2023 – A BioCatch, líder mundial em detecção de fraudes digitais e lavagem de dinheiro com base em inteligência biométrica comportamental, anuncia o relatório de 2023 intitulado “Tendências de Fraude em Bancos Digitais na América Latina”, que oferece uma análise das atuais ameaças e métodos de prevenção no setor financeiro, especificamente como e onde os cibercriminosos estão usando táticas de engenharia social, incluindo golpes de voz para fraudar as vítimas.

Brasil

No contexto do relatório, a BioCatch destaca que é essencial reconhecer como o Brasil tem reconhecimento devido à sua eficácia no combate a ameaças financeiras, abrangendo a fraude do falso funcionário, golpes, sequestro, roubo de celular, bem como as contas laranjas e a segurança do PIX. Com a evolução tecnológica, a fraude tradicional tornou-se um desafio maior para os golpistas. No entanto, é fundamental destacar que o elo mais frágil nessa situação continua sendo o usuário. Se os usuários fossem mais protegidos, a incidência de golpes seria significativamente reduzida. É nesse contexto que a biometria comportamental assume um papel crucial, pois não apenas preserva a segurança dos usuários, mas também capacita os bancos a tomar decisões mais assertivas em suas estratégias de combate à fraude.

“O Brasil é um país bem digitalizado e bancarizado. Além disso, temos o PIX, que é um propulsor muito forte da economia, por isso, é muito comum os cibercriminosos desenvolverem diferentes e criativos golpes que acabam sendo exportados em outros mercados, devido ao aumento significativo no volume de golpes relacionados a ele. O Banco Central tem pressionado os bancos para se responsabilizarem pelas fraudes, apostando na prevenção de contas laranjas como parte da resposta a essa crescente ameaça”, afirma Cassiano Cavalcanti, diretor de pré-vendas da BioCatch na América Latina.

Principais conclusões do relatório:

  • Aumento dos ataques de engenharia social: 33% de todos os casos de fraude em 2023 podem ser atribuídos a ataques de engenharia social. Os aumentos acentuados foram mais evidentes no México, Brasil, Chile e Argentina;
  • Casos de dispositivos roubados quase duplicam: O primeiro semestre de 2023 registrou um aumento de 90% nos casos de dispositivos roubados em comparação com o mesmo período em 2022;
  • O número de contas laranja duplicou: a BioCatch observou um aumento de 100% nas contas laranja relatadas, enfatizando os crescentes desafios de crimes financeiros enfrentados pelo setor bancário;
  • Técnicas de fraude de grande alcance: o relatório destaca novos golpes, como o “golpe da família no WhatsApp” e “golpes de investimento”, que estão ganhando força rapidamente na América Latina;
  • Métodos criminosos inovadores: surgiram métodos não convencionais como o “Shoulder Surfing” e o “Facial Recognition Bypass”, complicando ainda mais o panorama da segurança;
  • Os bancos adotam medidas de segurança avançadas: Com a responsabilidade que muitas vezes recai sobre os bancos pelas perdas de clientes, há uma mudança acentuada no sentido de adotar soluções de ponta, como a aprendizagem automática e a inteligência biométrica comportamental.

O relatório enfatiza a urgente necessidade dos bancos fortalecerem suas estratégias de combate à fraude. À medida que mais vítimas recorrem aos bancos em busca de compensação e segurança, é fundamental que as instituições financeiras incorporem soluções avançadas capazes não apenas de identificar, mas também de antecipar essas ameaças em constante desenvolvimento.