Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

China levanta suspeitas sobre Google e Apple

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

ciberdefesa-china-versus-euaPrestadores de serviços de tecnologia importada como o Google e a Apple podem se tornar ameaças em segurança cibernética para os usuários chineses, disseram analistas de segurança ao jornal China Daily, publicado pelo governo chinês, exatamente uma semana após a China anunciar que começará a fazer revisões de segurança em equipamentos de tecnologia importada – leia-se switches e roteadores para começar, mas a revisão vale para tudo.

Grandes empresas de tecnologia como Yahoo, Cisco, Microsoft e Facebook, segundo o jornal foram obrigados pela Agência de Segurança Nacional dos EUA a ceder  informações sobre seus usuários, de acordo com Wan Tao, fundador do laboratório de inteligência “Amigos da Defesa”, uma instituição independente com foco em segurança cibernética na China . Wan disse que os serviços on-line tornaram-se uma forma importante para os EUA obterem informações globalmente.

Ning Jiajun, pesquisador sênior do Comitê Consultivo para a Informatização Estado, acrescentou que “anteriormente, os EUA pediram às empresas para instalar software de escuta telefônica em seus produtos, mas se os usuários os encontrassem o seu plano seria um fracasso”, disse ele. Exemplificou dizendo que as informações sobre uma organização chinesa, por exemplo, podem ser roubadas quando ela faz um pedido em um site de compras internacional, disse ele.

Com as tecnologias como computação em nuvem e big data tonando-se populares, as informações podem ser coletadas e analisadas imediatamente, o que significa que o dano pode ser muito maior e mais difícil de evitar, dizem analistas chineses.

“Pode-se dizer que aqueles que dominam os serviços online podem obter mais informações no ciberespaço”, disse Du Yuejin, diretor do Laboratório Nacional de Engenharia de Tecnologia de Resposta a Emergências em Cibersegurança – o CERT chinês.