Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Cibercrime brasileiro aperfeiçoa malware bancário

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Os cibercriminosos que controlam o malware bancário “goatRAT” anunciaram na dark web um aperfeiçoamento: o recurso de tornar a tela preta para ocultar da vítima o instante do roubo de dados e execução de transações não autorizadas. Nesse momento, o cibercriminoso assume o controle do dispositivo da vítima. O malware funciona quebrando a segurança de todos os aplicativos bancários móveis que não possuam verificação de transmissão de tela. 

A nova versão está sendo alugada a R$ 5 mil por semana e R$ 10 mil por mês. A versão antiga, sem tela preta, custa R$ 3 mil popr semana e R$ 5 mil por mês. O cibercriminoso que aluga o malware alega que é “o melhor KL” (keylogger) do mercado: recentemente, ele publicou um anúncio numa rede social procurando um free lancer que pudesse desenvolver o recurso que agora deixa a tela preta.

Nossos agradecimentos ao OpenCTI.br