Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Compartilhamento de informações sobre indícios de fraudes é positiva

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Iniciativa do Banco Central foi formalizada na Resolução Conjunta nº 6 em maio deste ano

São Paulo, 4 de setembro de 2023: Atuando fortemente no combate aos golpes financeiros e contribuindo para os debates relacionados ao tema, a Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD), entidade que representa as fintechs de crédito, avalia que o compartilhamento de dados e informações sobre indícios de fraudes por parte das instituições financeiras, estabelecido pela Resolução Conjunta nº 6 do Banco Central, que entra em vigor em 1º de novembro, tende a beneficiar o ecossistema como um todo, além de atender a uma demanda antiga do mercado.

Na visão de Claudia Amira, diretora-executiva da ABCD, a iniciativa representa mais um ação voltada para a modernização do sistema financeiro, que é a base da Agenda BC#, com potencial para favorecer tanto provedores e tomadores de crédito.

“Ao contar com uma base única de dados, alimentada e consultada pelas instituições, o mercado dá um passo importante para fazer frente às fraudes. Do lado de quem busca recursos financeiros, a medida promoverá um setor com menor incidência de golpes. Na outra ponta, as empresas provedoras de crédito tendem a reduzir custos relacionados à observância e contratação de ferramentas específicas para mitigar o problema, além da diminuição de perdas financeiras”, analisa Claudia. “A ABCD, inclusive, já está em contato com as fornecedoras da solução que possibilitará o compartilhamento dos dados para entender qual delas melhor atende ao mercado”, adianta a executiva.

Desde julho de 2022, a Associação Brasileira de Crédito Digital e suas associadas promovem uma campanha que inclui a veiculação intensiva de orientações de segurança nas redes sociais e sites da entidade e das fintechs participantes para ajudar os clientes a não cair em golpes. “Essa é uma pauta sempre presente em nossas conversas com o Banco Central porque apenas o monitoramento e a denúncia de endereços eletrônicos e números de telefone envolvidos nas práticas criminosas não surtem o efeito desejado, já que os fraudadores são muito versáteis e rápidos. Daí a importância da Resolução Conjunta para o setor”, finaliza a diretora-executiva da ABCD.