Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Cuidado: atrás de uma imagem pode haver um ataque de phishing

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Os pesquisadores da Check Point Software apontam como os hackers estão escondendo links maliciosos em imagens enviadas por e-mail para redirecionar os usuários para sites de phishing

São Paulo, 31 de maio de 2023 – Os golpes bem-sucedidos raramente elucidam o que está prestes a acontecer, pois os hackers contam com táticas enganosas de engenharia social. Isso porque a ideia é fazer o usuário pensar que está executando algo legítimo, mas, na verdade, não está. Uma maneira de os atacantes realizarem isso é por meio da ofuscação. Ao ocultar a verdadeira intenção do e-mail encaminhado, pode ser mais provável que um verificador de segurança “pense” que ele está limpo e que um usuário abrirá e interagirá no conteúdo do e-mail. E uma forma de fazer isso é usar algo esperado para atrair a atenção, como uma imagem, e ocultar o conteúdo malicioso por trás dela.

A seguir, os pesquisadores da Check Point Research (CPR), divisão de inteligência de ameaças da Check Point® Software Technologies Ltd. (NASDAQ: CHKP), uma fornecedora líder de soluções de cibersegurança global, explicam como os hackers ocultam os links maliciosos nas imagens para redirecionar os usuários para sites de phishing.

O ataque

Nesse tipo de ataque, os hackers criam links “mágicos” que mudam para o destino pretendido ao serem copiados e colados.

● Vetor de ataque: e-mail

● Tipo: Link malicioso

● Técnicas: Picture in Picture, Ofuscação

● Alvo: qualquer usuário final

Exemplo de e-mail

Clique Para Download
E-mail malicioso informando participação gratuita em programa de fidelidade da Kohl’s

A mensagem e a imagem parecerão ser de um e-mail padrão. No entanto, trata-se de uma mensagem falsa da Kohl’s, mostrando que o usuário foi escolhido para participar de seu Programa de Fidelidade gratuito. Importante: a URL no rodapé da imagem não tem nada a ver com a Kohl’s.

Clique Para Download
E-mail malicioso informando vale-presente da companhia aérea Delta

O mesmo acontece nesta outra imagem, a qual é relativamente convincente sobre uma oferta de vale-presente da Delta. Mas, novamente, a URL não aponta para a Delta.

Ambas as URLs nas imagens são, de fato, um pouco semelhantes entre si.

Ao clicar na imagem, os usuários são redirecionados para as páginas clássicas de coleta de credenciais. “Atrás da imagem está a URL. Mesmo imagens verdadeiras de marcas legítimas têm links para uma página. A maioria dos e-mails de marketing funciona dessa maneira. Haverá uma imagem de promoção de boa aparência e o link levará à página pretendida”, explica Jeremy Fuchs, pesquisador e analista de cibersegurança na Check Point Software para solução Harmony Email.

Nos exemplos acima, porém, a página pretendida não tem nada a ver com a Delta ou a Kohl’s, porém têm sim tudo a ver com roubo de informações.

As técnicas

A ofuscação é um presente para os hackers. Isso permite que eles façam um truque de mágica que funciona ocultando a verdadeira intenção de sua mensagem. Neste caso, trata-se de uma imagem. A imagem destina-se a atrair o usuário a clicar. Quem não gostaria de receber um vale-presente da Delta de US$ 1.000?

Os atacantes esperam que o usuário fique intrigado o suficiente para não passar o mouse sobre a URL e ver que ela não corresponde. Um usuário com olhos de águia veria isso e saberia imediatamente que algo está errado. E eles também esperam que os filtros de URL também sejam confusos. Parecerá limpo se eles não estiverem digitalizando dentro da imagem. Este é um método bastante comum. Muitas vezes, os hackers vinculam um arquivo ou imagem ou código QR a algo malicioso. Somente usando o OCR para converter as imagens em texto ou analisando os códigos QR e decodificando-os, é possível ver a verdadeira intenção. Mas, muitos serviços de segurança não fazem ou não podem fazer isso.

Nesses casos exemplificados, os e-mails parecem bastante legítimos. E sim, itens padrão como o endereço do remetente e o link estão desativados. O fato de a URL estar oculta atrás da imagem torna as coisas muito mais desafiadoras.

Melhores práticas: orientações e recomendações

Para se proteger contra esses ataques, os profissionais de segurança precisam:

● Implementar segurança que analisa todas as URLs e emula a página por trás dela;

● Aproveitar a proteção de URL que usa técnicas de phishing como esta como um indicador de um ataque;

● Aproveitar o software antiphishing baseado em IA capaz de bloquear o conteúdo de phishing em todo o pacote de produtividade.