Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Espionagem digital descoberta na Suécia pela KPMG e FireEye

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Espionagem digital descoberta na Suécia pela KPMG e FireEyeNos últimos anos, o governo sueco observou um aumento de ataques cibernéticos graves visando informações classificadas financeiras, informações legais, comunicação empresarial e militar e outras informações altamente sensíveis. A fim de investigar essa “ameaça desconhecida”, a KPMG, em conjunto com FireEye, realizou um estudo sobre o cenário de ameaças sueco para verificar o que é de fato o risco para as empresas e instituiçoes. A cada organização participante no estudo foi fornecidos um appliance FireEye NX 7400. O aparelho foi estrategicamente colocado na borda da infra-estrutura das organizações, entre as camadas de segurança de rede reais e os hosts clientes.
Tanto o tráfego de entrada e de saída foram monitorados. O estudo mostra que todas as organizações foram expostas a tentativas de infecção de malware, que passaram com sucesso pela defesa de perímetro das organizações e atingiram hosts internos; 93% das organizações foram realmente consideradas infectadas, já que foram observadas tentativas de comunicação com os servidores de call back; em 79%, foi possível observar as tentativas de exfiltrar dados das organizações. De acordo com o estudo:
Uma organização média gera 43 incidentes de segurança por dia, com uma média de dois novos hospedeiros infectados por dia
93% das organizações foram violadas
79% tiveram dados exfiltrados
49% do malware detectado era desconhecido
52% do malware identificado era desconhecido para os fornecedores de antivírus
83% das call backs eram relacionadas a exfiltração de dados

Destinos das call backs de acordo com as verticais
Governo – para EUA, França e Ásia
Manufatura – para EUA e China
Indústria – para os EUA, Ucrânia, Rússia, Alemanha e Reino Unido
Varejo – para EUA

Veja o relatório completo em:
http://www.kpmg.com/SE/sv/kunskap-utbildning/nyheter-publikationer/Publikationer-2014/Sidor/UnknownthreatsinSweden.aspx