Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

IA em due diligence de segurança cibernética

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Pesquisas mostram que 68% das empresas já sofreram algum tipo de ataque cibernético durante o processo. Especialista da Microservice explica a relação entre a tecnologia e a análise aprofundada de informações de uma organização

Além do aumento da produtividade, com a automatização de processos repetitivos, a Inteligência Artificial apoia processos de due diligence, como as consultorias e auditorias realizam com seus clientes. O recurso acaba movimentando uma considerável quantidade de dados sigilosos de empresas e, para isso, contar com boas práticas de cibersegurança é essencial, como explica o especialista em segurança cibernética para empresas, Cristiano Ribeiro de Souza, gerente de TI da Microservice, que oferece soluções de cibersegurança corporativa. “A união da IA com o due diligence penetra em camadas profundas da rede para buscar dados vazados e ameaças de riscos cibernéticos para a empresa”, diz.

Dados da PwC mostram que 68% das empresas já sofreram algum tipo de ataque cibernético durante o processo de due diligence. Cristiano aponta, ainda, as principais aplicações da IA na análise de informações corporativas:

  • Processamento de Linguagem Natural (PLN): esta é uma tecnologia de machine learning que dá ao computador a habilidade de interpretar, manipular e compreender linguagem humana. Ela pode analisar contratos, acordos e documentos legais para identificar cláusulas críticas e riscos potenciais. Também permite extrair informações de documentos, otimizando o trabalho humano;
  • Identificação de Vulnerabilidades: a IA pode identificar vulnerabilidades de segurança em sistemas e softwares da empresa alvo, utilizando técnicas como análise de código estático e dinâmico. Além disso, a tecnologia pode vasculhar a dark web para encontrar informações sobre a empresa que não estejam disponíveis na web pública, como dados vazados ou atividades ilegais;
  • Análise de ameaças cibernéticas: O monitoramento do ambiente de TI da empresa pela IA ajuda e agiliza a identificação e resposta a ameaças cibernéticas em tempo real, como ataques de malware, phishing ou ransomware.

A investigação constante de grandes conjuntos de dados identifica padrões que podem apontar para fraudes ou outras atividades maliciosas. O monitoramento de transações financeiras e outras atividades ajuda a identificar desvios de comportamento que podem indicar fraude ou lavagem de dinheiro. Além disso, a IA pode analisar e-mails tanto para identificar problemas de gerenciamento quanto para reconhecer links e anexos suspeitos de conterem vírus e outros problemas para a corporação. 

“Boas práticas de segurança cibernética são essenciais para que toda a companhia fique livre de ameaças que podem levar a milhões de reais em prejuízos, além de manchar a reputação da empresa perante a todos os players do mercado. A cibersegurança é, principalmente, um problema de conscientização dos próprios profissionais de dentro de casa, que não têm uma cultura de proteção de dados. Assim, além de treinar e informar muito bem todos os setores da organização, contar com boas ferramentas para detecção de mitigação de riscos, como softwares atualizados constantemente e firewalls, por exemplo, é essencial para evitar dores de cabeça com possíveis vazamentos de dados”, reforça Cristiano.