Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Investigação confere se hackers violaram sistema eleitoral

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Duas reportagens publicadas hoje nos portais Tecmundo e Jota indicam que hackers podem ter invadido a rede interna do Tribunal Superior Eleitoral, na qual estão os sistemas de carga das urnas eleitorais brasileiras. A reportagem do Tecmundo informa que o vazamento das informações da rede aconteceu uma semana antes do segundo turno das eleições. O portal foi informado do assunto por um hacker, que obteve “sucesso ao entrar na intranet do TSE e obter informações privilegiadas e confidenciais, como troca de emails, envio de senhas para juízes, credenciais de acesso etc”.

O hacker buscou comprovar a invasão enviando ao Tecmundo várias telas dos sistemas. O portal as enviou ao TSE, solicitando confirmação da autenticidade do material, mas até o momento da publicação da notícia o Tribunal ainda não havia respondido a essa solicitação. Ao portal Jota o TSE confirmou que “pessoas de fora da Corte podem ter tido acesso a informações sobre os equipamentos”.

O acesso teria sido feito ao Gedai-EU, conforme publicou o Tecmundo, e que segundo o site do TSE, é a plataforma que gerencia dados, aplicativos e interface com as urnas. O hacker teria obtido inclusive as credenciais de acesso ao sistema do ministro substituto Sérgio Banhos e do chefe da área de TI do TSE, Giuseppe Janino. Ao Tecmundo, o hacker informou que obteve acesso por meio de vulnerabilidades existentes em aplicativos do próprio Tribunal.