Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Mais de 17 mil sites suspeitos na Black Friday

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Ambiente inseguro preocupa consumidores e pode ter contribuído para a queda nas venda

Um levantamento realizado pela plataforma Site Confiável (www.siteconfiavel.com.br) durante a Black Friday, entre os dias 23 a 25 de novembro, considerando o período de véspera até o dia seguinte da ação, monitorou 104.507 buscas de consumidores que buscaram por 27.270 sites únicos com objetivo de avaliarem se o site era confiável ou não.

Desse total, 17.129 ou 62,81% dos sites foram avaliados como suspeitos pela plataforma, o que mostra um cenário preocupante, pois ainda não temos um ambiente seguro para os consumidores. No ano passado, esse mesmo levantamento identificou 7.485 sites considerados suspeitos, um aumento de 128,85%.

A sensação de medo dos consumidores aparece como um grande vilão para o e-commerce brasileiro com um aumento na quantidade de sites falsos e lojas clonadas na internet. Os  consumidores estão cada vez mais inseguros, é o que mostra um estudo realizado pela Serasa, apontando que 67% dos brasileiros têm medo de cair em fraudes durante as compras na Black Friday.

Além disso, a taxa Selic, que mesmo com a sequência de quedas continua alta, e tem encarecido os custos operacionais no varejo, a redução na quantidade de ofertas nesta edição e a diluição da Black Friday, que era uma ação para um único dia e agora se tornou uma ação para todo o mês de novembro (Black November), com muitas ofertas antecipadas pelas lojas e frustrando consumidores que esperavam descontos maiores no dia 24.