Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Mikko Hypponen fala ao Cibersecurity

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Mikko Hypponen é uma das pessoas mais influentes da tecnologia da internet. Ele trabalha para a empresa finlandesa de segurança F-Secure, onde é chief research officer – ou líder de pesquisas. Entrou na empresa em 1991, três anos depois da fundação. Começou a programar aos 12 anos, com 16 já vendia seus primeiros programas e sua grande especialidade é engenharia de reversão. Hypponen é conhecido por declarações muito esclarecedoras, como a que se tornou conhecida como “Lei de Hypponen: Sempre que um equipamento for descrito como sendo being inteligente, ele é vulnerável.”

Conversei com Hypponen hoje (18/09/2018) em São Paulo, onde esteve para participar do Mind The Sec 2018 como keynote speaker. O tema escolhido para sua palestra foi “THE NEXT REVOLUTION”, ou “a próxima revolução”. Mikko não quis adiantar detalhes do tema para não quebrar as expectativas do público, já que a apresentação será às 9 da manhã do dia 19. Mas a revolução à qual ele se refere é a Internet das Coisas, que está expandindo de modo exponencial a superfície de ataque. Sobre as ameaças correntes na internet, ele disse que as maiores estão sendo aquelas que trazem criptografia, como os ransomwares. Não é a primeira vez que vem ao Brasil. Mikko disse que já veio em 2014 para uma palestra no evento SecureBrasil.

O resumo de sua palestra desta vez é o seguinte: “Vivemos nossas vidas em meio a uma revolução: a revolução da internet. Durante nosso tempo de vida, todos os computadores começaram a se comunicar uns com os outros por meio da internet. A tecnologia ao nosso redor está mudando mais rápido do que nunca. Já nos tornamos dependentes de nossos dispositivos digitais, e este é só o começo. Ao mesmo tempo em que dispositivos conectados abrem novas oportunidades para a imaginação, eles também abrem novas oportunidades para cibercriminosos. Onde estamos hoje? Para onde iremos? E como nós iremos proteger dez bilhões de novos dispositivos que estarão online na próxima década?”