Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Módulo, Unisys, Ágora e Comtex instalarão centros de comando da Copa

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
centro de comando em veículo
Centro de comando em veículo

A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (SESGE) assinou contrato com o Consórcio Brasil Seguro, que será responsável pelo fornecimento de soluções de tecnologia de informação, serviços e infraestrutura aos 14 Centros Integrados de Comando e Controle (CICC), previstos nas 12 cidades sedes da Copa do Mundo.

O projeto, que custará R$ 244 milhões, faz parte da arquitetura de segurança pública que está sendo desenhada para o evento. O Consórcio Brasil Seguro conta com a parceria e o know how de quatro empresas extremamente competentes com grande atuação e experiência de mercado que garantem o sucesso deste projeto: Agora Telecom, Comtex, Módulo e Unisys.

Sérgio Thompson-Flores, CEO da Módulo, empresa líder do consórcio, ressalta: “Ficamos felizes em fechar parceria com empresas de renomada reputação e comprovada experiência em projetos similares. É um privilégio para a Módulo e para as demais empresas participantes do Consórcio, termos vencido a licitação para implantar para a SESGE o mais ambicioso e complexo projeto de Centros de Operações e Gestão de Grandes Eventos do mundo. Muito nos orgulha que o consórcio vencedor tenha sido liderado por uma empresa brasileira, com software e capital brasileiros, demonstrando mais uma vez nossa capacidade enquanto empresa e país em prover soluções inovadoras e de tecnologia de ponta”

Para Vail Gomes, Diretor Comercial da Divisão de Segurança e Radiocomunicações da AGORA Telecom, o projeto é uma oportunidade para demonstração da competência dos fornecedores brasileiros. “Isso irá demonstrar a competência de nosso grupo na consolidação de tecnologias e equipamentos que contribuem para uma melhor gestão da segurança, para o atendimento ao público e para a manutenção da ordem”, avalia Gomes.

A COMTEX está otimista quanto aos resultados e principalmente quanto a parceria entre nossas empresas, que juntas, formam um grupo experiente e capaz de realizar esses grandes projetos.
Este projeto será um marco na história das quatro empresas envolvidas e demonstrará o quanto a indústria nacional evoluiu neste setor, competindo de igual para igual com todos os gigantes mundiais. Sergio Nercessian, CEO da Comtex, destaca: “Temos ainda a vantagem de conhecer bem o nosso país e principalmente as capitais, pois, a maioria já foi fruto de estudos e muitas delas já contam com algum de nossos parceiros fornecendo algum serviço.”

Agostinho Rocha, diretor-presidente para o Brasil e vice-presidente para América Latina da unidade de Tecnologia, Consultoria e Soluções de Integração (TCIS) da Unisys comenta: “Com mais de 90 anos de presença direta no Brasil e um histórico de projetos de missão crítica desenvolvidos para clientes do setor público, a Unisys se orgulha em fazer parte deste projeto de extrema relevância para o país, que estará suportado por uma avançada infraestrutura de tecnologia da informação”.

O processo de concorrência, que iniciou em junho deste ano, teve a participação de outros seis consórcios e contou com companhias, como IBM, Microsoft, Motorola, Oi e Telefônica, entre outras. Dos 14 Centros Integrados de Comando e Controle que serão implantados, 12 serão centros regionais, construídos nas doze cidades sedes do evento, e dois serão centros nacionais, localizados em duas cidades estratégicas: Rio de Janeiro e Brasília.  O projeto deverá ficar pronto até maio de 2014. Após a Copa do Mundo, os centros com toda sua infraestrutura será o grande legado desta iniciativa da SESGE para a segurança pública no país. Parte dos sistemas permanecerá mobilizada para suportar a segurança das Olimpíadas/Paraolimpíadas 2016 e parte será cedida aos Estados, por intermédio de critérios a serem estabelecidos pelo Ministério da Justiça e pelos Estados.

“Com os grandes eventos, surge para o Brasil a oportunidade de construir uma rede integrada de Comando e Controle. Trata-se de um novo conceito que irá habilitar as forças policiais do País a atuar em um ambiente de colaboração, interoperabilidade e gestão compartilhada. Este projeto constitui o embrião de uma nova Arquitetura de Segurança Pública, “ observa   Roberval França Diretor Geral do Consórcio Brasil Seguro.

Estrutura dos Centros

Ambientes:

1. Sala de Operações:
– Infraestrutura de Operações;
– Rede de Dados;
– Sistema de Vídeo-Wall;
– Sistema de Telefonia;
– Sistema de Radiocomunicação;
– Sistema de Atendimento e Despacho;
– Sistema de Gerenciamento de Eventos;
– Sistema de Vide monitoramento;
– Sistema Integrador;

2. Sala de Gerenciamento de Grandes Eventos e de Gerenciamento de Crise:
– Sistema de Videoconferência;
– Sistema de Vídeo-Wall;
– Sistema de Telefonia;
– Rede de Dados;

3. Sala de Inteligência:
– Infraestrutura de Inteligência;
– Rede de Dados;
– Sistema de Inteligência;

4. Dispositivos Externos:
– Rede de Câmeras distribuídas pelas Cidades;
– Dispositivos Móveis (tablets, terminais de rádio e telefonia móvel)
– Sensores de Tiro e outros dispositivos de sensoriamento.