Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Os Centros Integrados de Comando e Controle da Copa

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Centro Integrado de Comando e Controle de Brasilia
Centro Integrado de Comando e Controle de Brasilia

[Press-release enviado pela Aceco]

Um dos mais importantes legados para a população brasileira após a Copa do Mundo, no quais foram investidos R$ 161 milhões, os Centros Integrados de Comando e Controle (CICCs), coordenados pela Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), estão prontos para o início dos jogos.

Em todas as cidades-sede, os CICCs centralizarão o monitoramento da segurança (polícia, bombeiros, serviços públicos) e serão os locais dos quais a administração pública vai coordenar todo o trabalho de antever e administrar possíveis crises que possam surgir durante o evento.

A Aceco TI foi responsável pela construção de toda infraestrutura (sistemas de energia redundantes, sistemas de refrigeração constantes, controle de acesso, mobiliário adequado etc.) das salas-cofres dos CICCs. Com isso, todos os equipamentos envolvidos em sua operação, como os vídeo walls, telões onde as imagens obtidas pelo monitoramento são projetadas, sistemas de telefonia, energia e servidores já estão totalmente disponíveis para o funcionamento 24 horas por dia, sete dias por semana.

“Quando se trata da manutenção da segurança, seja para grandes eventos, para o dia a dia da população ou mesmo de uma empresa privada, a boa infraestrutura de um CICC – um ambiente com sistemas de tecnologia avançada, que exige operação contínua, alta disponibilidade e segurança da informação -, é a base que garante sua correta operação”, explica João Lúcio dos Reis Filho, diretor da área de projetos públicos da Aceco TI.

Após os eventos, os CICCs poderão ser 100% utilizados pela área de segurança pública nacional, inclusive agregando informações de outras instâncias, como a defesa civil, por exemplo, no sentido de garantir maior agilidade e melhor atendimento aos cidadãos.

“Empregamos nossos melhores recursos técnicos e humanos nos projetos da Sesge e tenho certeza que, de nossa parte, os CICCs estão prontos para desempenhar um papel vital na segurança de todas as cidades-sede da Copa”, finalizou João Lúcio.