Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Spam de SMS na China

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Spam de SMS na ChinaSabe aqueles caras que passam debaixo da sua janela anunciando pamonhas de Piracicaba (mas que são feitas em qualquer lugar) ou conserto de panelas e coisas assim? Pois prepare-se porque os “carros de som” do século XXI também estão a caminho, transportando estações rádio-base de telefonia celular e fazendo spam de SMS de bairro em bairro. Ainda não tenho notícia de que a moda tenha chegado aqui, mas já tem (e bastante) na China. Ontem, a polícia chinesa anunciou ter prendido 1530 pessoas envolvidas com essa atividade, considerada ao mesmo tempo crime e praga. Um grupo detido na província de Liaoning foi acusado de ter distribuído mais de 200 milhões de mensagens. A polícia calcula que só no primeiro semestrre de 2013 foram disparadas no país cerca de 200 bilhões (bi mesmo!) de spams via SMS, nosso popular torpedo.

Essas estações rádio base piratas são relativamente baratas e compostas por um laptop, um celular GSM, um servidor e uma antena. Quando o veículo que as transporta passa perto, simulando o sinal das operadoras, os celulares das proximidades se conectam com ele por causa da força desse sinal e podem receber mensagens com a assinatura de qualquer assinante que os piratas escolham – seja banco, governo ou o fabricante chinês de pamonhas, pamonhas, pamonhas.