Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

As seis principais medidas de um plano de Resposta a Incidentes

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Ter um planejamento para o caso de ataques não é algo complexo e  deveria fazer parte do cotidiano das empresas

Se engana quem pensa que resposta a um incidente de segurança só acontece em casos de mega ataques, como o WannaCry.  Não importa o tamanho da empresa, ela já sofreu ou pode sofrer, a qualquer momento, algum incidente de segurança, causando grande prejuízo às organizações.

“As respostas a incidentes fazem parte da rotina das equipes de segurança e vão desde uma recuperação de infecção por vírus até o restabelecimento de um sistema sob a mira de um ataque”, diz Rodrigo Silva, gerente de Professional Services da Tempest Security Intelligence, empresa brasileira especializada em segurança cibernética e combate a fraudes digitais.

Segundo o executivo, cada companhia deve ter, minimamente, um processo de resposta a incidentes. O gerente listou as seis principais medidas de um plano de resposta a incidentes:

–  Ter mapeada todas as soluções que a empresa possui, bem como ter definido os responsáveis pelo processo de resposta de cada área da companhia;

– Identificado o incidente, qualificar a abrangência e o impacto nos negócios;

– Fazer a contenção, isolando o incidente para que ele não se propague por toda a empresa;

– Fazer a erradicação do problema, aplicando as correções levantadas e monitorando para se ter o resultado esperado;

– Recuperação, que vai restabelecer o ambiente afetado;

– Realizar o histórico das ocorrências do incidente, assim como documentar todos os processos de resposta que erradicaram o incidente, o que vai criar um material para a empresa estar preparada para ataques que possam ocorrer no futuro.

O gerente da Tempest diz que ter um planejamento para o caso de incidentes não é algo complexo e que deveria fazer parte do cotidiano das empresas. “Normalmente, responder a um incidente de segurança não exige muitos aparatos e nem é necessário uma equipe numerosa, é algo que está no dia a dia da organizações, que com a instituição de procedimentos, terão a estrutura necessária para agir quando for preciso”, diz.