Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

SISTRAM VI da Marinha não foi invadido – telas divulgadas são públicas

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

SISTRAM VI, da Marinha, não tem vulnerabilidadeUma fonte ligada à Marinha do Brasil informou que é falsa a notícia de que o Sistema de Informações Sobre o Tráfego Marítimo (SISTRAM) está vulnerável ou tenha sido invadido, conforme publicado ontem pelo Cibersecurity: segundo a fonte, a base de dados foi testada e está intacta, e as telas publicadas são de um formulário público, servindo para um registro inicial de navios. Depois de enviado, o formulário é analisado e validado pela Marinha, segundo a fonte, e só depois inserido no banco de dados do SISTRAM. 

O sistema foi desenvolvido para acompanhamento dos navios mercantes, em rotas de longo curso, cabotagem ou em águas interiores. Tanto esse quanto os demais sistemas de acompanhamento de Tráfego Marítimo, existentes no mundo visam basicamente o apoio necessário aos navios em situações de emergência.

A notícia publicada ontem pelo Cisoadvisor se baseou em telas recebidas, indicando que pessoas não autorizadas (hackers) haviam conseguido acesso esse sistema. Sites de vários níveis de governo têm sido visados por eles no Brasil e atacados com ferramentas de mapeamento e intrusão.