Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Site de Israel invadido por hackers brasileiros: entenda como foi

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Hackers brasileiros na #OpSaveGaza
Clique para ampliar

Hackers brasileiros têm participado aos ataques a sites israelenses e de países simpatizantes de Israel na operação #OpSaveGaza. Segundo a conta de Twitter “T0x1n4 Cyb3r G4ng”, foi invadido o servidor no endereço http://www.iapf.org.il. O site pertence à organização Internatinal Anti Poaching Foundation, que combate a invasão de áreas de preservação ambiental pelos caçadores de animais selvagens. Embora o domínio esteja registrado em Israel, a sede da organização fica na Austrália, com escritórios na África do Sul, EUA e Zimbabwe. A campanha #OpSaveGaza tem forte participação do grupo ativista Anonymous e de outros simpatizantes da causa palestina.

Num email enviado ao Cibersecurity, o grupo informou que “o que nos levou a lutarmos virtualmente ao lado da grande Palestina foi o absurdo que Israel vem fazendo: causando um grande número de mortos incluindo pessoas inocentes por um fim tão medíocre – afinal, a vida de milhares de crianças valem muito mais do que uma pequena região.”

Segundo o grupo a invasão ao site de Israel foi relativamente rápida: “Foi feita uma enumeração no CMS do site que era WordPress, depois, verificamos que o site estava utilizando um tema com um arquivo de configuração vulnerável a LFD (Local File Disclosure). Através dessa falha foi feito o download  do arquivo de configuração do site para depois realizarmos uma conexão remota com o banco de dados. E por fim, modificamos a senha do Administrador e acessamos o painel de gerenciamento do site, fazendo o upload da Shell. Nossos alvos são quaisquer sites com domínios de Israel. A operação não vai acabar até que a Palestina seja livre”, conclui a mensagem.

Hackers brasileiros na #OpSaveGaza
Home page da IAPF no cache do Google