Hackers iranianos alegam ter derrubado energia em Israel
Ransomware atinge empresa de logística no Brasil
USP, UFRJ e UFMG sob ataque de negação de serviço
Pane de rede retardou produção na Volkswagen
Site da Prefeitura de Suzano (SP) está fora do ar
DDoS atinge subdomínio da NASA

Assine nossa newsletter Premium e ganhe acesso ao grupo de WhatsApp In_Cyber.
Conheça também a versão Básica

Vítima de golpes na internet, Jadlog faz alerta e processa Meta

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook

Por meio de perfis falsos, estelionatários oferecem oportunidades inexistentes e extorquem interessados. Após comunicar a Meta para retirar páginas fakes do ar, transportadora entra com ação na Justiça por falta de resposta

Golpistas na internet estão utilizando domínios falsos com o nome da Jadlog, uma das maiores empresas de transportes de cargas fracionadas do Brasil e uma das principais operadoras logísticas do e-commerce, para oferecer vagas de trabalho inexistentes e extorquir dinheiro de candidatos, por meio de páginas falsas nas redes sociais, e-mail e mensagens de SMS. Os estelionatos vêm ocorrendo há cerca de dois meses e se intensificaram nos últimos 30 dias, alcançando até agora mais 100 casos identificados.

A Jadlog notificou extrajudicialmente a empresa Facebook Brasil, representante da Meta no país, sobre as páginas falsas, contudo as páginas permanecem no ar. Diante da situação, a transportadora está processando a Meta por meio de ação judicial com pedido de liminar para suspensão imediata dessas páginas no Facebook e Instagram, sob pena, na ocasião, de multa diária de R$ 1 mil.

A liminar foi deferida e a decisão entregue pessoalmemte na sede do Facebook Brasil no último dia 23 de maio, mas a determinação judicial também não foi respeitada. Atualmente, a multa diária está em R$ 6 mil e pode chegar a R$ 15 mil.

Segundo o departamento judídico da Jadlog, a responsabilidade da Meta é baseada no Marco Civil da Internet (Lei nº 12.965/14), nos próprios Termos de Uso e Políticas das plataformas, na Lei de Propriedade Intelectual, além do Código Civil e a Constituição Federal, que prevê a inviabilidade da imagem das pessoas físicas e jurídicas.

Além da ação judicial, a Jadlog comunicou os fatos à Polícia Civil de São Paulo e colaborará com as investigações no que for preciso. Espera-se que os responsáveis pela criação e manutenção dos perfis falsos em nome da empresa sejam identificados e responsabilizados.
 

A empresa também está atuando para evitar mais golpes e minimizar seus efeitos, por meio de alertas de fraude em seu site oficial e em suas páginas oficiais nas redes sociais.


A Jadlog reitera que realiza a comunicação na internet para informações e oportunidades de trabalho apenas em seus canais oficiais e não solicita nenhum tipo de pagamento para que os candidatos concorram às vagas ou para a liberação de cargas.

Detalhes dos golpes

Através dos domínios falsos @jadlog. gmail. com, jadlog_nordeste, jadlog_sul, jadlog_mg, jadlog_transportadora_ e jadlognorte, entre outros, e do e-mail jadlog.cv@ gmail.com, os golpistas oferecem vagas de trabalho inexistentes e solicitam pagamentos para que o candidato participe do processo seletivo.

Outro golpe é por meio de um link em mensagem SMS, alegando que há carga retida e que, para liberação, é necessário acessar o link e efetuar um pagamento. Além destes, os golpistas solicitam a contratação de um seguro, mediante pagamento, para que o motorista interessado se torne agregado da Jadlog.

As notícias sobre os primeiros golpes ocorreram há cerca de dois meses e os casos se intensificaram nos últimos 30 dias. Mais de 100 casos já foram indentificados com pagamentos feitos pelas vítimas que variam de R$ 500 a R$ 1,2 mil.